Período de recesso

Informamos que o período de recesso começa dia 17 de Dezembro de 2018, com retorno previsto para dia 07 de Janeiro de 2019. Durante esse período, não haverá atendimento telefônico ou por e-mail.

As compras na Loja Virtual devem ser realizadas até dia 10 de Dezembro de 2018, para que possam ser enviadas dentro do prazo antes das férias coletivas. Caso a compra seja feita após essa data (10/12/18), os produtos serão enviados apenas a partir do dia 07 de Janeiro de 2019.

Agradecemos sua compreensão.
Um Feliz Natal e um próspero Ano Novo.
Abraços Fraternos,
Secretaria AME - Brasil

Edital de fomento da AME Brasil para a publicação de artigos científicos em periódicos

O Departamento de Pesquisas da AME Brasil abre o edital de fomento para publicação em regime de
acesso aberto (open access) que seja feita em periódicos qualiAicados nacionais ou internacionais. Será
fornecido pagamento total ou parcial de publicação de acordo com os critérios abaixo estabelecidos.
Seguem detalhes do edital

PALAVRA DA DIRETORIA

Dr. Gilson
O setembro amarelo e a prevenção do suicídio

Estamos em setembro, o mês amarelo segundo a Organização Mundial de Saúde, dedicado ao tema suicídio. E a AME Brasil não poderia eleger outro tema para a nossa conversa, pela área a qual se dedica.

Roberto Lúcio Vieira de Souza é psiquiatra e vice-presidente da AME-Brasil

Posição oficial da AME-Brasil sobre Zika vírus e o Aborto

Os que defendem a legalização do aborto encontraram na associação do aumento da microcefalia com o surto de zika vírus uma oportunidade para retomar a discussão da liberação do aborto no Brasil.

Recentemente foi noticiado que grupo liderado pela Débora Diniz, do instituto de bioética Anis, prepara uma ação no STF para a liberação do aborto em casos de microcefalia.

É o mesmo grupo que propôs a ação para interrupção da gravidez de anencéfalos, acatada pelo STF em 2012.

NOTA DA AME BRASIL SOBRE A DECISÃO DO STF - Prática do aborto

A AME-Brasil recebeu com profunda surpresa a decisão tomada dia 29/11/2016 pela 1ª Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) ao não considerar crime a prática do aborto durante o primeiro trimestre de gravidez no julgamento de uma clínica de aborto, em Duque de Caxias (RJ). Entendemos que essa decisão gera uma jurisprudência que favorecerá o embasamento das decisões judiciais de outras instâncias por todo o Brasil, abrindo assim um precedente para descriminalizar o aborto até o terceiro mês de gravidez.

Páginas