Iniciamos 2019 renovando nossos votos de trabalho e fidelidade a Jesus!

Iniciamos 2019 renovando nossos votos de trabalho e fidelidade a Jesus!

O momento exige determinação e persistência!
As AMEs seguem desempenhando importante tarefa para a consolidação do paradigma médico-espírita, buscando integrar a Ciência Médica ao Evangelho do Cristo.
Nunca como antes a medicina avançou tanto, no entanto, conforme dados da World Health Statistics publicados em maio de 2018, continuamos apresentando situações desoladoras.

Em 2016 houve uma estimativa de 477.000 assassinatos, com quatro quintos de todas as vítimas de homicídio do sexo masculino.
Em 2016, estima-se que 180.000 pessoas foram mortas em guerras e conflitos. Isso não inclui as taxas de mortalidade para os efeitos indiretos da guerra e do conflito, como a disseminação de doenças, má nutrição e colapso dos serviços de saúde.
Em 2016, a poluição do ar exterior nas cidades e áreas rurais causou cerca de 4,2 milhões de mortes em todo o mundo.
No mesmo ano, a poluição do ar interior e exterior causou cerca de 7 milhões de mortes – uma em cada oito mortes no mundo.

Estima-se que 9 em cada 10 pessoas no mundo respirem ar poluído.
Água não potável, falta saneamento e falta de higiene foram responsáveis por cerca de 870.000 mortes em 2016.
A depressão é a principal causa de problemas de saúde e incapacidade em todo o mundo.
De acordo com as últimas estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 300 milhões de pessoas vivem com depressão, um aumento de mais de 18% entre 2005 e 2015.

Quase 800 mil mortes por suicídio ocorreram em 2016, com a taxa mais elevada na Região Europeia (15,4 por cada 100.000 habitantes).
A cada 40 segundos uma pessoa comete suicídio.
Temos uma estimativa de 997.154 suicídios este ano.
Cerca de 11 mil pessoas tiram a própria vida todos os anos no Brasil.

Mesmo com o mundo produzindo alimento suficiente para toda a população do planeta, a cada 4 segundos uma pessoa morre de fome. O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) lançou um alerta: 1,4 milhão de crianças correm o risco de morrer de fome em quatro países: Iêmen, Nigéria, Somália e Sudão do Sul.
Há uma crise de fome severa em 51 países do mundo, afetando 124 milhões de pessoas.

A Organização Mundial da Saúde, OMS, estima existirem 100 milhões de crianças vivendo nas ruas do mundo subdesenvolvido ou em desenvolvimento, das quais 10 milhões no Brasil.
A maioria dessas crianças abusa das drogas, que as ajudam a negar, a fugir da realidade, a matar a fome, e a se aquecer.
Em 2017, 151 milhões de crianças com menos de cinco anos (22%) estavam com baixa estatura para a idade – três quartos delas vivem na Região do Sudeste Asiático ou na Região Africana.
51 milhões de crianças menores de cinco anos (7,5%) estão com peso abaixo do ideal para a estatura, enquanto 38 milhões de crianças nessa faixa etária (5,6%) estavam com sobrepeso.

Embora o avanço da tecnologia e o controle das doenças físicas, nunca estivemos tão doentes!
O sistema vigente, que tem como pilar um individualismo avassalador, demonstrou-se incapaz de assegurar o bem-estar da humanidade.

Há muito a ser feito! Precisamos prosseguir!
O AMOR permanece sendo o grande desafio para a humanidade!

Para nós, médico-espíritas, fica cada vez mais evidente o ideal que nos move:
“A alma humana está cansada de ciência sem sabedoria e, envenenado pelo pensamento moderno, o cérebro, nas suas funções culturais, precisa ser substituído pelo coração, pela educação do sentimento.
O evangelho e o trabalho incessante pela renovação do homem interior devem constituir a nossa causa comum.” (Emmanuel, Francisco Cândido Xavier, "Reformador", Mai/1976)

Dr. Gilson Luis Roberto é médico homeopata e presidente da AME-Brasil