OBRIGADO, MÃE, POR ME DEIXAR NASCER
(Folha Espírita - Agosto/2005)

Linguagem ácida, obrigação em investir no trabalho social e a tarefa de orientar os jovens carentes das periferias e favelas das grandes cidades (veja Folha Espírita de julho de 2005) fizeram com que os rappers investissem fundo na questão da sexualidade. E quem está na linha de frente do movimento traz sua própria experiência de vida. É o caso do rapper e ator Nick Cannon, que lançou recentemente a canção Can I live? (Posso viver?).

A canção narra como sua mãe desistiu de praticar o aborto que colocaria fim à sua vida, permitindo que Cannon nascesse em 17 de outubro de 1979. O videoclipe conta com a presença da atriz Tatiana Ali, que encarna o papel da adolescente mãe de Nick. Ele tem início quando um homem chega acompanhado de uma jovem assustada a uma clínica de abortos e encontra um protesto de ativistas pró-vida. A garota atravessa o grupo entre placas onde se lê a mensagem: “A vida é um direito”. Ao entrar na clínica e se preparar para o aborto, opta pela vida do filho.

Cannon define a situação como uma “história de amor” que lhe permitiu existir. Em nenhum momento ele condena a mãe, e entende a situação de vergonha, medo e apreensão que ela atravessava.

Na letra da música, carregada de emoções, encontramos frases contundentes: “Veja-me enquanto sonha, então não pode matar seus sonhos. 300 dólares é o preço de viver. Mamãe, eu não gosto desta clínica. Com sorte, tomará a decisão correta, espero que não decida pela faca”; “Só tenho dois meses. Me trata de esconder em suas roupas que já cresceram três tamanhos. (...) Seus amigos lhe olharão estranho, mas se olha, mãe, só amor e respeito. Obrigado por me permitir nascer, deixar-me viver”. Ao final do vídeo a verdadeira mãe de Cannon aparece abraçando-o, enquanto ele segue cantando: “Amo a minha mãe por me dar a vida. Precisamos apreciar a vida. Uma mulher forte teve que se sacrificar. Obrigado por escutar. Obrigado por escutar. Obrigado mamãe, por escutar”.

Um grande número de crianças vestindo camisetas com os dizeres Can I live? acompanham o cantor durante todo o tempo. O vídeo completo pode ser visto no site www.nickcannonmusic.com.

O Brasil também iniciou um movimento para informação dos jovens. É o “Hip Hop Mandando Fechado em Saúde e Sexualidade”. A proposta é aproveitar o potencial mobilizador dessa manifestação artística para dar visibilidade ao debate sobre os direitos sexuais e direitos reprodutivos. Objetiva levar informação, educação e conscientizar o jovem para que inicie ou mantenha sua vida sexual de forma saudável e responsável.

O projeto completo do movimento, bem como download de letras e depoimentos, parcerias e contatos podem ser visualizados no site www.hiphopdsdr.org.br.