ASSOCIAÇÕES CONDENAM "PÍLULA DO DIA SEGUINTE"
(Folha Espírita - Maio/2005)

Após estudarem os diversos aspectos bioquímicos de ação da chamada “pílula do dia seguinte”, usada como contraceptivo de emergência até 72 horas após a fecundação do óvulo, o público presente ao Encontro das Associações Médico-Espíritas da Região Sudeste, realizado em 20 e 21 de março, no Auditório Bezerra de Menezes do Hospital Espírita André Luiz, em Belo Horizonte (MG), foi unânime em considerar o seu mecanismo abortivo, já que pode impedir a seqüência natural do ovo até o momento da nidação (considerada pela ciência oficial o início da gravidez).

É por esse motivo que, segundo Roberto Lúcio de Souza, vice-presidente da AME-Brasil e presente no encontro, saiu a orientação para que o profissional espírita não a prescreva, utilizando-se do direito de respeito à sua consciência, como determina o Código de Ética Médica. “Apesar da constatação de que existem situações em que clinicamente sua indicação seria possível, como no caso de respeito ao preceito de salvar a mãe, por risco iminente de vida, o plenário optou evitar tais especificações, fugindo de tomar as exceções por regra. Mesmo no caso de estupro, reconhecendo que a vida é um bem indisponível, não deve existir tal indicação, pois um crime não justifica outro”, relata.

Foi sugerido então, de acordo com Souza, que, após um consenso de todas as AMEs do Brasil, seja enviada uma moção sobre seus posicionamentos aos conselhos federal e regionais de Medicina. “A coordenação ficou responsável por redigir um documento, que, após lido e aprovado pelas AMEs do Sudeste, será enviado para a AME- Brasil e demais associações regionais. Na ocasião, ficou também demarcada a indignação diante do absurdo da venda da pílula sem prescrição médica e informações de que, mesmo dentro da abordagem oficial, em alguns casos ela seria abortiva e de que o seu uso indiscriminado como anticoncepcional, como já vem ocorrendo, pelas altas dosagens do hormônio, poderá ter conseqüências ainda desconhecidas”, afirma. Outro ponto levantado no encontro ainda com relação ao assunto foi a necessidade de o profissional espírita divulgar, onde for possível, tais conceitos e de se trabalhar para que as informações contidas na bula do medicamento sejam inteligíveis e condizentes com a verdade sobre as possibilidades do aborto.

O espírito e seus corpos

Além da discussão sobre a “pílula do dia seguinte”, o evento, no qual estiveram reunidos profissionais da área da Saúde, representando quatro associações regionais, a AME-Brasil e seu Departamento de Acadêmicos, também tratou de “O espírito e os corpos”.

“Nesse sentido, ficou claro que existe necessidade maior de estudos sobre o assunto, pois a grande maioria desconhece suas nuanças e, entre os estudiosos, existem contradições em suas formas de abordagem. Ficou claro para os presentes que as diversas visões apresentadas não ferem os princípios básicos da Doutrina Espírita, mas não preenchem os requisitos do Ensino Universal dos Espíritos, conforme nos foi apregoado pelo Codificador Allan Kardec”, declara o vice-presidente da AME-Brasil.
Segundo ele, o plenário optou pela definição dos orientadores espirituais, no O Livro dos Espíritos, nas perguntas 23 e 134, sobre espírito: “princípio inteligente do universo” e sobre alma: “espírito encarnado”, reconhecendo que o próprio codificador utilizou os vocábulos muitas vezes como sinônimos. E para uma linguagem médico-espírita, foi sugerida a não-utilização do termo “centelha divina”, que suscita uma idéia panteísta, optando-se por usar os vocábulos “mônada”, “princípio inteligente” e “espírito” como gradações ou estágios evolutivos do ser inteligente criado por Deus. Optou-se, também, por utilizar-se da visão ternária do ser, contida na obra kardequiana: espírito, perispírito e corpo físico, reconhecendo-se a existência de corpos ou estruturas sutis do espírito, que necessitam de mais estudos para serem compreendidos, em suas especificações e funções.

O Núcleo Universitário da AME-Brasil, representado por seus coordenadores e acadêmicos, aceitou o desafio de promover um amplo levantamento sobre perispírito no pensamento e na obra de Allan Kardec, a ser apresentado no Medinesp 2005. A questão dos corpos sutis do espírito ficou para um próximo encontro. O próximo evento ficou marcado para março de 2006, em Vitória (ES).