BEBÊ COM ANENCEFALIA COMPLETA 7 MESES PESANDO 7 QUILOS
Texto extraido do site http://www.estadao.com.br/ultimas/cidades/noticias/2007/jun/20/
207.htm

Brás Henrique, especial para o Estadão
20 de junho de 2007 - 15:25


RIBEIRÃO PRETO - A bebê Marcela de Jesus Ferreira, que nasceu com apenas uma parte do cérebro, em Patrocínio Paulista, na região de Ribeirão Preto, completou nesta quarta-feira, 20, 7 meses de vida. Tecnicamente, ela é considerada anencéfala. A menina consegue respirar sem a ajuda do capacete de oxigênio por até 3 horas.

A cada dia ela surpreende a própria mãe. Nesta quarta, a menina pesava 7 quilos e media 60 centímetros. "Eu já sentia que ela estava pesando isso", disse a mãe, Cacilda Galante Ferreira, que não desgruda da filha.

Marcela consegue respirar sem a ajuda do capacete de oxigênio por até três horas. E desde que saiu da Santa Casa, em 18 de abril, a menina só voltou ao hospital para pesar e trocar a sonda e também devido a uma cólica sofrida há alguns dias.

Cacilda cuida da casa, no bairro Marumbé (a um quilômetro do hospital) e, para melhorar a sua condição física, pedala uma bicicleta ergométrica enquanto olha para a filha. O marido, Dionísio, vai sempre visitá-la, como na terça. A filha Dirlene esteve os últimos dias com a mãe e a outra filha, Débora, vai três vezes por semana ficar com a mãe e a irmã.

A pediatra Márcia Beani Barcellos continua visitando semanalmente Marcela, e se surpreendendo com a evolução da menina, que, na teoria, tinha poucas chances de sobreviver. De duas a três vezes, uma equipe do Programa de Saúde da Família (PSF) faz visitas à menina. Marcela tem parte do encéfalo (cérebro), que a mantém viva.

A alimentação de Marcela continua sob medida: 90 ml de leite a cada três horas, 20 ml de suco (duas vezes ao dia) e 20 ml de papinha de legumes (duas vezes ao dia). E Cacilda não deixa de dar todo o seu carinho à filha. Ela afirma que cuidará da menina "até quando Deus quiser".