- Decálogo dos Médicos Espíritas
(versão em espanhol) (versão em inglês)

- Adendo à Carta de Princípios Bioéticos da AME-Brasil, estabelecido no VI Congresso Nacional das Associações Médico-Espíritas do Brasil (08/06/2007)
(versão em inglês)

- Carta de Princípios da Associação Médico – Espírita do Brasil (21/06/2003)

- Carta de Princípios estabelecida no V Congresso Médico-Espírita (MEDNESP) 28/05/2005

- Princípios do Médico Espírita
(versão em espanhol) (versão em inglês)
Nos dias 25 e 26 de novembro de 2006 foi realizada a Jornada da Associação Médico Espírita de São Paulo, durante a palestra final, a Dra Marlene Nobre recebeu os princípios do Médico Espírita, ditados pelo Dr. Bezerra de Menezes, patrono da Associação Médico Espírita do Brasil.

- Direitos do Embrião
Considerando que:
1) A vida é um bem outorgado por Deus, a qual todos têm direito...

- Aborto
Considerando que:
1) Nosso paradigma de bioética é o personalista espírita que contempla a dignidade ontológica, a partir do zigoto, onde a vida se inicia...

- Fetos denominados "anencéfalos"
Considerando que
1) O anencéfalo tem preservadas diferentes partes do encéfalo, tais como tronco encefálico, região talâmica e até mesmo porções do córtex cerebral, possuindo, portanto, regiões responsáveis pelo controle automático de funções viscerais como...

- Em relação às células tronco-embrionárias
Considerando que:
1)As pesquisas com células-tronco embrionárias, embora, teoricamente, mais promissoras, têm revelado, na prática, alto risco na geração de tumores, sendo passíveis de provocar rejeição...

- Em relação à eutanásia, à distanásia e à morte natural
Manifestamo-nos:
1) Contrariamente a qualquer meio intencional que antecipe a morte natural do ser humano, seja pela eutanásia, ativa ou passiva, ou pelo suicídio assistido...

- Eutanásia
Considerando que:
1) A vida nos é concedida por Deus e somente por ELE pode nos ser tirada...

 

ARTIGOS

- Como fazer as pazes com os adversários desencarnados
(Mensagem psicografada pela médium Marlene R. S. Nobre, em reunião do Grupo Espírita Cairbar Schutel, em 24 de abril de 2007)

- A Questão do abortamento provocado do chamado anencéfalo
Por Irvênia Prada
Uma vez que o abortamento provocado, de um feto, implica em sua morte, ou seja, no término intencional de sua vida, o que é decidido e executado por outras pessoas, alheias à sua individualidade, reveste-se, o assunto, da mais alta gravidade. As considerações que se seguem acham-se afetas a algumas das razões que sustentam nossa postura contra esse procedimento.

- Razões para ser contra o aborto do anencéfalo
Por Dra Marlene Rossi Severino Nobre
À primeira vista, pode parecer que as razões contrárias ao abortamento provocado sejam exclusivamente da alçada da religião. Uma reflexão mais acurada, porém, demonstrará que elas têm raízes profundas na própria ciência. Assim, para sermos fiéis à verdade e discutirmos, sem as amarras obliterantes do preconceito, a complexa e multifacetada questão dos direitos do embrião, é indispensável analisarmos os argumentos científicos contrários ao aborto.

- Estresse e Espiritualidade
Por Dra Marlene Rossi Severino Nobre
Os fatores estressantes emocionais tanto podem ser tristes, como a morte de um ente querido, o desemprego, quanto felizes, como o sucesso do atleta ou as alegrias do reencontro - todos desencadeiam, do mesmo modo, os mecanismos e as conseqüências do estresse. O mesmo acontece em relação aos abalos nervosos, como no estado de cólera, medo, etc., assim como frente aos fenômenos físicos nocivos -frio, calor, fadiga, agentes tóxicos ou infecciosos, jejum, exercícios físicos exagerados, etc.